Publicado em

29 de Julho de 2022

Escola do Turismo de Portugal //

Estoril

EHT do Estoril, CM de Cascais e MARE

Image

Decorreu na tarde de dia 28 de julho a 1ª amostragem em larga escala do projeto “É Seco ou Fumado”.

 

Receita para criar Produtos Inovadores para a economia do mar de Cascais:

 

1º - Ter a ideia, escrever o projeto e conseguir financiamento;

2º - Juntar os parceiros certos;

3º - Transformar a cozinha em laboratório e realizar as análises e testes necessários;

4º - Examinar os resultados e promover os novos produtos, aumentando o rendimento da comunidade piscatória e dinamizando o turismo.

 

Na passada 5ªfeira iniciou-se a amostragem em larga escala do Projeto “É seco ou Fumado? -  Produtos Inovadores que levam à valorização do Pescado”, transformando as cozinhas da Escola de Hotelaria e Turismo do Estoril num autêntico laboratório experimental onde Investigadores do MARE e Chefs da Escola trabalham em conjunto para dinamizar a economia do Mar de Cascais.

 

 

A Câmara Municipal de Cascais em conjunto com a Escola de Hotelaria e turismo do Estoril são parceiras do Projeto “É seco ou Fumado?- Produtos Inovadores que levam à valorização do Pescado”, promovido pelo MARE (Centro de Ciências do Mar e do Ambiente) e financiado pelo Mar 2020.

O objetivo deste projeto é o desenvolvimento de produtos de valor acrescentado a partir de espécies fundamentais do pescado tradicional da região saloia (raia, polvo e ovas de polvo) através de transformação (secagem e defumação), promovendo a sua valorização como produto diferenciado.

A avaliação do potencial destes produtos do mar, será uma mais-valia para a comunidade piscatória local, promovendo a sustentabilidade ambiental e económica na exploração dos recursos pesqueiros. Paralelamente a inovação apresentada enquanto produto gastronómico de alto valor económico será um fator diferenciador no setor de turismo e restauração do concelho.

 

O projeto desenvolve-se em várias fases nomeadamente:

  1. Monitorização da diversidade e quantidade de capturas destas espécies na região;

  2. Determinação das metodologias mais adequadas para o processamento do pescado;

  3. Avaliação da qualidade do produto fresco, seco e fumado;

  4. Divulgação e promoção dos produtos de valor acrescentado.

 

Com término previsto para o final de 2022, é expectável o projeto apresentar resultados concretos nos próximos meses, fique atento às próximas iniciativas de divulgação do projeto.

 

Outros artigos:

contactos

Em caso de dúvidas, entre em contacto connosco.

Email:

formacao@turismodeportugal.pt

Política de Privacidade

Newsletter

Siga-nos

Image