Publicado em

16 de outubro de 2020

Escola do Turismo de Portugal //

Algarve

5 HISTÓRIAS, 5 RAZÕES PARA CONTINUAR A ACREDITAR
Image

É preciso saber de que palavras se alimentam as esperanças e os sonhos de hoje para conseguirmos acreditar que são reais e que são vividos por pessoas iguais a nós.

São 5 histórias de 5 novos alunos. Vidas separadas por abismos, vivências distintas, realidades que nada têm em comum.

Na imensa linha do Tempo, só há algo que os une: outubro de 2020, a entrada na Escola de Hotelaria e Turismo do Algarve. Porque todos continuam a acreditar que vale a pena sonhar.


‘Com o Turismo no Sangue’

DANIELLE MOTTA – Aluna do Curso de Gestão de Turismo


Estou há 12 dias em Portugal.


Tenho 41 anos, sou brasileira e desde que me conheço que sou apaixonada por Turismo. Sou jornalista e sempre trabalhei em revistas de Turismo, dedicadas aos viajantes. Sempre tive essa paixão.


Não conto a muitas pessoas o meu sonho mais antigo: trabalhar na Organização Mundial do Turismo. Podem pensar que sou maluca, estar a sonhar com isto aos 41 anos.


Ao longo da minha vida, nunca fiz nada para atingir esse objetivo. Sinto que é este o momento. Vou fazer finalmente algo para me aproximar desse sonho. Ou é agora ou nunca.


Eu própria sou uma viajante. Fui viver para a Califórnia, para S. Diego e foi lá que conheci o meu marido, que é alemão. Conhecemo-nos numa viagem de ônibus.

Decidimos viver durante um tempo na Ásia, em Bangkok e depois mudámo-nos para a Austrália. Lá, comecei a trabalhar na área do ‘Hospitality’.


Arranjei trabalho nos grandes Estádios de Sidney, até no Estádio Olímpico. Comecei por baixo, como ‘waitress’ e fui subindo, até atingir o topo da carreira de Supervisora. Organizava eventos e tinha que coordenar as diferentes áreas: montar o evento, catering, comunicar com a cozinha, supervisionar as diferentes ‘dietas’… era muito intenso mas eu adorava e acho que tinha jeito.


No entanto, eu sentia que me faltava o enquadramento teórico. O que fazia, fazia por instinto, recorrendo ao bom senso. Faltava-me a formação.


Mudámo-nos para a Alemanha mas eu já sabia que queria vir para Portugal. A Alemanha é muito fria (risos).


Sempre achei que Portugal é um país completo em termos de Turismo. Tem gastronomia, história, religião, vinho, praia, calor, paisagens diversificadas. Portugal destaca-se pelo que faz! Lisboa tem sido distinguida como uma das melhores cidades do mundo para viajar.


Eu acompanho de forma muito próxima o trabalho do Turismo de Portugal e percebo que este país tem o Turismo no sangue…. Aqui respira-se Turismo. Isso fascina-me.


Eu e o meu marido temos uma autocaravana e foi assim que viajámos da Alemanha para Portugal. Fizemos 13 mil quilómetros. Andámos a fugir ao Coronavírus.


Nas minhas pesquisas no site do Turismo de Portugal encontrei a Escola do Algarve.


O curso de Gestão de Turismo pareceu-me que era aquele que abrangia mais áreas e que iria dar-me a base mais completa. Eu sei que para trabalhar na OMT é muito importante a formação académica. Estou disposta a isso. Quero fazer também um mestrado.


A tradição desta escola motiva-me muito. Desde o primeiro momento que entrei, percebi que todos os formadores são altamente empenhados e motivados. Vê-se que a formação é direcionada para o mercado de trabalho e isso enche-me de esperança e de alegria. 


Nestes últimos dias, parece que viajei no tempo e sinto-me num regresso ao passado, a voltar à escola. Mas sou a mais velha da turma! Tenho uma colega que já me disse que a mãe dela é mais nova do que eu (risos). Eu nem sei ainda como me comportar. Mas estou a adorar todos os minutos. 


Não planeio ficar parada neste ano e meio… sempre que conseguir vou continuar a viajar na minha autocaravana. Parada é que não vou ficar. https://escolas.turismodeportugal.pt/curso/gestao-de-turismo/


‘Derradeiro impulso à Vida’

DOINA MOROI – Aluna do Curso de Gestão Hoteleira Alojamento


Tenho 28 anos, nasci na Moldávia e vim para Portugal com 11 anos. Sou filha única.

A adaptação, em termos sociais, não foi fácil por causa da língua. Só quando cresci consegui, finalmente, fazer amigos.


Refugiei-me nos estudos. Mergulhei de cabeça porque sabia que era a forma de me conseguir adaptar à língua e também ao novo plano curricular.


Durante muitos anos, lembro-me de estudar todas as noites, sozinha em casa, até à meia-noite.


Sei que sou uma pessoa com capacidades. Sei que me posso tornar ‘alguém’ mas até agora a vida não me permitiu dar esse passo.

Sou sedenta de conhecimento. Orgulho-me muito de nunca ter tido uma única negativa.


Quando chegou o momento de decidir qual o curso que iria tirar, optei por Direito. Entrei na Universidade de Coimbra e fiquei deslumbrada. O primeiro ano correu muito bem, tive excelentes notas. Mas com muita pena minha tive que abandonar porque andava a ‘cambalear’ financeiramente. Os meus pais sempre me ajudaram economicamente mas sabia que tinha de ser eu a fazer por mim.


Decidi entrar para a Universidade do Algarve e fazer o curso de Línguas e Literaturas. Mais uma vez, ao início correu tudo muito bem, com bons resultados, mas a questão financeira impôs-se novamente. Tive de deixar o curso e ir trabalhar a tempo inteiro.

Já perdi a conta à quantidade de trabalhos que tive. Fiz muitos trabalhos de limpezas porque acredito que nenhum trabalho é inferior.


Para mim, trabalho honesto é dinheiro ao fim do dia e isso é que é importante. Como gosto muito de aprender, acredito que em qualquer trabalho, mesmo nas limpezas, tenho algo a aprender…tudo é bem-vindo. Trabalhei na restauração, como secretária administrativa, fui agente de viagens e especialista de voos numa agência, fui rececionista, trabalhei como empregada de mesa de 2ª e empregada de andares no hotel Conrad.


Sinto que a Escola de Hotelaria e Turismo do Algarve é a minha derradeira oportunidade. Este é o meu último ‘impulso’ para conseguir vir a ter a estabilidade financeira que tanto preciso.


Optei pelo curso de Gestão Hoteleira e Alojamento mas confesso que o meu plano é terminar esse curso e fazer o de Gestão de Turismo. Só tenho de conseguir estabilidade financeira. Tenho muita esperança de conseguir isso.


Falo português, romeno, inglês, francês, russo, espanhol e italiano, adoro línguas…aprendi com os milhares de turistas com quem lidei ao longo dos anos (risos).

Com este curso espero ter finalmente um documento com o meu nome a dizer que sou formada e que tenho uma profissão. Quero tanto isso. 


Onde é que me vejo daqui a 10 anos? O meu verdadeiro sonho é ter um negócio próprio, um hostel ou casa de acolhimento, que funcione como local de divulgação da cultura moldava, pouco conhecida aqui em Portugal. 


Sei que esta é uma ideia bonita e fofinha no papel mas tenho de ser realista. Por isso, daqui a 10 anos, vejo-me com alguma experiência na receção ou a dirigir um departamento… só depois, então, sou capaz de me atrever a encarar o meu verdadeiro sonho. https://escolas.turismodeportugal.pt/curso/gestao-hoteleira-e-alojamento/



‘Ser Fiel à Primeira Paixão’

LÚCIA NATANIEL – Gestão e Produção de Cozinha


Tenho 21 anos, nasci e cresci em Moçambique, entre Maputo e Nampula.


Andei em várias faculdades. Primeiro entrei em Medicina mas não consegui prosseguir porque tive alguns problemas. Depois entrei em Direito, na faculdade de Nampula, a segunda maior cidade de Moçambique, mas ao fim de 2 anos percebi que o meu verdadeiro sonho não era ser advogada ou juíza. 


Decidi que tinha de me mudar para um lugar que me desse mais oportunidades, um país europeu. Foi aí que me decidi mudar para Itália.


O meu sonho, o que sempre me fez feliz, é Cozinha. Comecei a sentir esse amor com 7 anos.


O problema é que para os pais moçambicanos estes cursos não são valorizados. Era muito difícil dizer à minha mãe ou ao meu avô que eu queria ser cozinheira.  Eles tinham a ambição de eu vir a ser médica ou advogada!


Tinha 18 anos quando fui viver para Itália. Consegui uma bolsa de estudos na Universidade de La Sapienza de Roma para estudar Cooperação Internacional para o Desenvolvimento. Sempre gostei dessa área, embora não fosse uma paixão como a da Cozinha. 


Quando terminou o ano letivo vim de férias a Portugal, no verão. Pareceu-me que tinha sido iluminada por uma luz! Adorei tudo. Decidi ficar cá e seguir aquele que sempre foi o meu projeto: ter o meu próprio espaço, um restaurante ou um resort.


Troco muitos emails com o meu avô, que continua a viver em Itália, sobre este projeto e até já comprámos um terreno em Nampula, junto ao mar, para concretizar esse sonho. Local já tenho, agora, falta-me o curso e o resto. 


Para conseguir ficar em Portugal, tive que arranjar trabalho. Em Tavira, já trabalhei como empregada de andares, empregada de mesa, fui ganhando a experiência que me vai ser muito útil.


Como soube que uma das melhores escolas de hotelaria é a de Faro, vim para cá e comecei a trabalhar na restauração, aqui na cidade.


Vivo sozinha, estou por minha conta e por isso preciso deste trabalho para pagar a escola, a casa, tudo. 


É engraçado, no 1º dia em que vesti o uniforme do Turismo de Portugal para ir para a escola senti-me imediatamente bem. Gosto muito de estar fardada. Depois, quando entrei na escola, fiquei deslumbrada com tudo.  O que mais me impressionou foi a área da cozinha. Nunca tinha estado numa cozinha tão grande, com tantas máquinas que não faço ideia para que servem! Eu estava de boca aberta, ainda bem que tinha a máscara (risos).


Sou muito otimista e acho que daqui a 10 anos vou conseguir o que tanto quero. Vou estar orgulhosa de mim e, quem sabe, posso ser uma inspiração para outras pessoas do meu país. https://escolas.turismodeportugal.pt/curso/gestao-e-producao-de-cozinha/


‘Cachupa no Coração’

RODRIGO ALMEIDA – Curso de Gestão e Produção de Cozinha


Tenho 18 anos, sou da ilha de S. Vicente, Cabo Verde, e desde muito pequeno que via o meu pai a cozinhar e queria muito aprender. Mas não me deixavam aproximar do fogão porque achavam que eu era demasiado criança.


Com 14 anos, comecei a praticar sozinho, a fazer coisas muito básicas, até que conversei com a minha mãe e lhe disse que era mesmo isto que queria seguir. Ser Chefe. Ela achou bem e apoiou-me porque na minha família há muitas pessoas com talento mas nunca ninguém seguiu esta área, eu sou o primeiro!


Tenho um primo que estudou na escola de Lamego e por isso já sabia das escolas do Turismo de Portugal. Eu sempre pensei em estudar em Portugal ou na Alemanha mas acabei por escolher Portugal e a escola do Algarve porque me disseram que é muito boa e que é mesmo uma das melhores do pais.


É a primeira vez que estou a viver sozinho, e ainda por cima num país estrangeiro.


Estou a dividir um quarto com outra pessoa. É muito complicado porque não tenho privacidade nenhuma. Cheguei há uma semana, dei umas voltas na cidade e achei Faro uma cidade linda. 


Tenho muitas saudades da minha casa e da minha família. Também tenho saudades das praias da minha ilha mas já sei que aqui há praias lindas.


Não sei quase nada sobre a gastronomia portuguesa mas estou curioso. Sou fã incondicional de cachupa e de outro prato que é arroz com feijão, peixe frito e molho de ‘maludia’. 


No primeiro dia de aulas estava muito nervoso, não conhecia ninguém. Mas tive uma boa receção, as pessoas foram todas muito simpáticas e comecei logo a falar com um rapaz, o que me fez sentir mais à vontade. Não tive problemas de adaptação.


O meu sonho é abrir o meu restaurante cá em Portugal e depois levá-lo para a minha ilha. É esse o meu sonho.


‘Descobri o que me Faz Feliz’

KEIL CASSAMO – Curso de Técnico(a) de Cozinha e Pastelaria


Tenho 17 anos. Nasci em Lisboa mas vivo em Vilamoura desde os 3 anos. Tenho um irmão mais novo.


Sinto que os próximos 3 anos vão mudar completamente a minha vida. Completamente!  Quando soube que tinha sido admitido na Escola de Hotelaria e Turismo do Algarve senti-me tão feliz! Foi um sentimento tão gratificante ter entrado na escola pela primeira vez... deu-me mesmo uma sensação de felicidade.


Estive no 10º ano na área de Economia mas não correu nada bem.


O que queria mesmo era Cozinha e Pastelaria, sempre soube isso. O meu pai disse-me que se era isso que eu queria, então tinha de ir para a melhor escola e eu optei pela Escola de Hotelaria e Turismo do Algarve.


O meu amor pela cozinha já vem desde muito pequenino e foi-se desenvolvendo. O meu pai levou-me para muitos eventos porque ele tem uma empresa que produz cozinhas de luxo e acabei por me ver envolvido nesse mundo. Ao mesmo tempo crescia a ver o programa Master Chef, não perdia um único episódio.


Quando acabar o curso de Técnicas de Cozinha e Pastelaria terei o equivalente ao 12º ano. A seguir, quero entrar na Universidade para fazer Gestão Hoteleira. Mas tenho mais planos: quero fazer um curso na prestigiada rede de escolas Corden Bleu. Gostava mesmo muito de fazer isso.  Mas ainda estou a estudar o assunto.


Sei que é importante alargar os meus conhecimentos e preencher o meu currículo. O mercado de trabalho valoriza isso.  


O meu sonho é ter uma cadeia de restaurantes mas primeiro quero perceber qual a parte da cozinha que gosto mais, onde é que sou bom e só depois me decido. De momento, ainda não tenho conhecimentos para tomar uma decisão tão grande.


Já fiz um estágio com o chefe Nuno Queirós Ribeiro, no MEO Sudoeste, na última edição que houve. Estive na parte do Catering, a cozinhar especificamente para os artistas. Foi uma experiência muito boa porque sugiram vários desafios que tive de superar sozinho. Foi aquela sensação de que estava a trabalhar por mim, a pensar pela minha cabeça… consegui perceber aquilo que era capaz.


Essa experiência fez-me perceber algo muito importante: o que realmente me faz feliz.  https://escolas.turismodeportugal.pt/curso/tecnicoa-de-cozinhapastelaria/

 

No ano letivo de 2020/2021 mais de 3000 alunos acreditaram nas escolas do Turismo de Portugal para ficarem mais perto dos seus sonhos.

315 novos alunos escolheram a Escola de Hotelaria e Turismo do Algarve.

Todos juntos, formam uma imensa onda de esperança e crença nos dias que hão-de vir e nos sonhos que se vão materializar.

Escolheram o local certo para voar.


Artigo elaborado por Alexandra Trindade - Jornalista e formadora dos módulos de Técnicas de Comunicação e Storytelling e de Desenvolvimento Pessoal e Criativo na Escola de Hotelaria e Turismo do Algarve.


contactos

Em caso de dúvidas, entre em contacto connosco.

Email:

formacao@turismodeportugal.pt

Newsletter

Siga-nos

Image