Notícias
Notícias
19 JUL 2023
Escola de Hotelaria e Turismo do Porto

Entrevista com João Martins - alumni EHTP

1. Quais dos conhecimentos técnicos adquiridos na EHTP, considera que foram e/ou são, ainda, fulcrais para a sua carreira? Qual destacaria?

Todos os conhecimentos técnicos foram fundamentais, sem exceção. A EHTP sempre teve um papel de destaque no mercado pelos conhecimentos operacionais com que prepara os seus alunos. Ontem, hoje e sempre será fundamental conhecer o negócio para além da teoria e isso tem sido um dos grandes destaques da EHTP, dotar os alunos de bons conhecimentos operacionais.

2. Sendo uma indústria de pessoas para pessoas, que competências pessoais/humanas valoriza como ideais para os profissionais da área? Destaca alguma que considere mais relevante?

Na Hotelaria e Turismo conseguir ter as pessoas que colaboram connosco motivadas sempre, a toda a hora e da mesma forma todos os dias e para todos os Clientes é desafiante. Por isso, todos aqueles que consigam manter as suas Equipas motivadas numa base regular tem um lugar de destaque.

Em ambientes cada vez mais multiculturais e multigeracionais a forma de atingir bons níveis, mantendo o rigor e boas práticas que o sector exige, é um desafio que tem de ser construído à medida das particularidades de cada pessoa que temos à frente garantindo uma boa gestão interpessoal.

3. Quando escolheu a EHTP, fê-lo porque sentiu ter uma vocação, ou por outra(s) razão(ões)? Como identificou essa vocação?

Tinha duas opções que me dividiam: ser engenheiro agrónomo ou seguir gestão hoteleira. A decisão em seguir hotelaria foi tomada de forma rápida porque senti que a dinâmica do sector, as chances de mobilidade e de contacto com outras culturas seria muito mais aliciante e menos rotineiro.

4. Quais os principais desafios que um profissional deve enfrentar sem hesitações?

Ao longo de toda a carreira somos desafiados em vários momentos a correr riscos e atingir novos patamares que nos tiram da zona de conforto: a primeira vez que se organizou um grande banquete, o primeiro hotel que se abriu, etc. Por isso, sem hesitação recomendo a todos que nunca hesitem, planeiem e antecipem o máximo possível e apreciem a adrenalina que o momento poderá nos dar.

5. Qual foi o maior desafio da sua carreira? Porquê?

Já foram vários e alguns dos quais vividos com outros colegas da EHTP.

Não me recordo de nenhum em particular mas dou o exemplo das aberturas de novos Hotéis; são sempre momentos marcantes que nos desafiam a criar, desenvolver produto, planear e antecipar as dificuldades, treinar pessoas, pensar na venda e promoção e após “nascerem” começa um novo ciclo de desafios para garantir os acertos rápidos, garantir consistência e treino permanente das pessoas que estão nos projetos.

6. De que forma se destaca a sua organização? O que a torna única? (Qual é a vossa “unique selling proposition”?)

O Grupo Pestana é a maior empresa de hotelaria e turismo em Portugal, com quase 50 anos de experiência no mercado Nacional e Internacional destacando-se das demais pelas oportunidades de carreira que proporciona aos seus Colaboradores através de experiências diversificadas, programas de cross-training e programas de desenvolvimento e valorização das pessoas.

Apresenta um portfolio diversificado distribuído por cidades e resorts em 16 países, somos uma cadeia hoteleira reconhecida pela boa localização dos seus hotéis, boa relação qualidade/preço e a qualidade dos nossos serviços.

7. Por favor descreva, se possível, uma das cenas mais caricatas com a qual lidou ao longo da sua carreira.

Recordo-me de há 15 anos atrás, com um colega nosso (César Marques), estarmos a trabalhar num resort em Albufeira, em que havia um casamento com a exigência de ter um cavalo branco mas momentos antes do evento a Equipa informa que o fornecedor tinha falhado.

Como nada podia falhar, andamos em Albufeira à procura de cavalos brancos!

Encontrei um, tive de andar a lavar o cavalo e arranjar atrelado para o transportar, mas valeu o esforço porque no fim do cocktail a noiva tinha o cavalo e eu fui tomar banho.

8. Tem alguma lição de vida que gostasse de partilhar? Algo que o marcou profundamente e contribuiu para a sua transformação como pessoa ou como profissional.

Há sempre várias situações que nos vão marcando, mas recordo-me em particular de uma situação que costumo usar como exemplo com as Equipas. Tratava-se de uma Colaboradora de limpeza que tinha uma má avaliação da sua prestação de serviço, alvo de crítica regular por parte de toda a estrutura de liderança de Housekeeping.

O assunto teria de ser resolvido e quando chegou o momento de uma conversa final, percebemos que aquela mulher era mãe solteira, tomava conta de um irmão com deficiência, quando chegava a casa aquecia água no fogão para os banhos e tinha de carregar garrafões de um fontanário para ter água no dia seguinte em casa.

Nós não conhecemos na maioria das vezes a realidade das pessoas que trabalham connosco. Esta Sra. acabou por ser transferida para uma outra unidade menos exigente em termos de serviço e mais perto de casa.

9. Quais os seus planos futuros em termos profissionais?

Tenho um novo desafio há relativamente pouco tempo, estou 100% dedicado e motivado a fazê-lo bem.

10. Que conselhos deixa para os atuais alunos da EHTP e que em breve serão seus colegas?

Estejam conscientes que o sucesso só acontece com muito esforço e empenho. Este é um setor que implica acompanharmos de perto as Pessoas (Clientes e Colaboradores) e para isso temos de estar muito presentes e investir muito do nosso tempo. Invistam em vocês visitando o “competitive set”, conhecer o que os outros estão a fazer, tirar ideias, enriquecer o vosso know-how.

11. Com que frase gostaria de terminar esta entrevista?

Tudo está certo. Depende do momento e de quem o vê.

Subscrever Newsletter

Deseja receber às nossas últimas novidades? Subscreva a nossa newsletter e será primeiro a receber as nossas novidades.

Ao subscrever a nossa newsletter, concorda com a nossa Política de Privacidade e Termos e Condições.